Renda Fixa | Focalise | Investimentos em Foco

Renda Fixa

O que é e por que investir em Renda Fixa?

Conheça

É o investimento realizado diretamente em Títulos Públicos e Privados de Renda Fixa. Quando você compra um título de Renda Fixa, você está emprestando dinheiro ao emissor do papel, que pode ser um banco, uma empresa ou mesmo o Governo. Em troca, recebe uma remuneração por um determinado prazo, na forma de juros e/ou correção monetária, podendo receber, ainda, parcelas chamadas amortizações.

Características

  • Produtos com diferentes objetivos de retorno e risco;
  • Exposição a vários setores da economia, aumentando a diversificação do portfólio dos investidores;
  • Previsibilidade de rendimento (se os investimentos forem mantidos até o vencimento*);
  • Ativos que podem atender aos objetivos de liquidez, renda ou apreciação do capital;
  • Opções de produtos com isenção de imposto de renda;
  • Determinados títulos contam com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Referenciadores da Renda Fixa

A sigla significa Certificado de Depósito Interbancário.
Quando um Banco precisa dinheiro emprestado de outro Banco, ele pode emitir um CDI e captar este dinheiro no Mercado Interbancário. Sendo assim é um instrumento de captação dos bancos, com objetivo de financiar suas atividades, onde o banco que pegou emprestado paga a taxa do CDI ao banco que emprestou.

 

Também chamada de Taxa Básica de Juros, a SELIC é a taxa de financiamento no mercado interbancário para operações de um dia. A Selic é definida a cada 45 dias pelo COPOM (Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil). É a partir da Selic que os bancos definem a remuneração de algumas aplicações financeiras feitas pelos clientes. A Selic também é usada como referência para cálculo de juros para empréstimos e financiamentos.

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), medido mensalmente pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), foi criado com a finalidade de mostrar o % de variação dos preços dos produtos e serviços no comércio. O IPCA é considerado o índice oficial de inflação do país.


Tipos de investimento em Renda Fixa

Instrumento de captação dos bancos, com objetivo de financiar suas atividades. Você empresta dinheiro aos bancos em troca de uma rentabilidade (juros).

Características

  • Liquidez diária após o período de carência;
  • Ampla rede de bancos emissores;
  • Geralmente é indexado ao DI e emitido com prazo em torno de dois anos;
  • Aplicação garantida pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) para valores até R$ 250 mil*, por CPF ou CNPJ, por instituição ou conglomerado financeiro;
  • Operação garantida pela Cetip. Produto registrado em nome do cliente (CPF/CNPJ).

*cobertura engloba principal e juros.

Instrumento de captação que pode ser emitido por instituições autorizadas pelo Banco Central, com objetivo de financiar o setor imobiliário. Os créditos imobiliários são geralmente garantidos por hipoteca ou alienação fiduciária do imóvel.

Características

  • Aplicações garantidas pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) para valores até R$ 250 mil¹, por CPF ou CNPJ, por instituição ou conglomerado financeiro;
  • Isenção de IR para pessoa física no rendimento; ganho de capital tributado de acordo com a tabela regressiva de alíquota de IR²;¹cobertura engloba principal e juros.
    ²22,5% até 180 dias; 20% de 181-360 dias; 17,5% de 361-720 dias; 15% mais de 720 dias.

Título emitido por instituições financeiras públicas e privadas, vinculado a direitos creditórios originários do agronegócio.

Características

  • Aplicações garantidas pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) para valores até R$ 250 mil¹, por CPF ou CNPJ, por instituição ou conglomerado financeiro;
  • Isenção de IR e IOF para pessoa física no rendimento; ganho de capital tributado de acordo com a tabela regressiva de alíquota de IR²;

¹cobertura engloba principal e juros.
²22,5% até 180 dias; 20% de 181-360 dias; 17,5% de 361-720 dias; 15% mais de 720 dias.

Instrumento de captação das financeiras, com o objetivo de financiar suas atividades. Você empresta dinheiro às financeiras em troca de uma rentabilidade preestabelecida.

Características

  • Geralmente é indexado ao DI;
  • Aplicação garantida pelo Fundo Garantidor de Créditos ( FGC) para valores até R$250 mil*, por CPF ou CNPJ, por instituição ou conglomerado financeiro;
  • Baixa liquidez;
  • Operação garantida pela Cetip. Produto registrado em nome do cliente (CPF/CNPJ).

* cobertura engloba principal e juros.

Títulos de crédito emitidos por empresas de vários ramos, com o objetivo de financiar investimentos, “rolar” dívidas, fornecer capital de giro, entre outros.

Características

  • Grande variedade de emissores;
  • Exposição a diferentes setores como o elétrico, consumo, telecomunicações e infraestrutura, ou seja, é mais diversificação para a sua carteira de investimentos;
  • São negociadas no balcão e registradas na Cetip ou no BovespaFix;
  • Possibilidade de compor de várias maneiras a rentabilidade da carteira (inflação, juros, prefixada);
  • Podem contar com a isenção de IR e IOF (para pessoa física) no rendimento e no ganho de capital, caso estejam enquadradas como debêntures de infraestrutura (Lei 12.431);
  • Operação garantida pela Cetip. Produto registrado em nome do cliente (CPF/CNPJ).

TRATA-SE DE UMA MODALIDADE DE INVESTIMENTO QUE NÃO CONTA COM A GARANTIA DO FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC

Título lastreado em ativos imobiliários de naturezas distintas, como CCI (Cédulas de Crédito Imobiliário), carteira de recebíveis, etc. Só pode ser emitido por companhias securitizadoras, responsáveis por estruturar os créditos imobiliários e transformá-los em CRIs.

Características

  • Possibilidade de remuneração atrelada à inflação + ganho real (prêmio), vinculada ao DI ou prefixado;
  • Diversos tipos de CRIs, com exposição a diferentes estruturas;
  • São negociados no balcão e registrados na Cetip ou no BovespaFix;
  • Possibilidade de garantias, como recebíveis imobiliários e/ou alienação fiduciária do bem imobiliário;
  • Isenção de IR e IOF para pessoa física no rendimento; ganho de capital tributado de acordo com a tabela regressiva de alíquota de IR*;
  • Liquidez baixa;
  • Investimento de longo prazo;
  • Destinado a investidores qualificados;
  • Operação garantida pela Cetip. Produto registrado em nome do cliente (CPF/CNPJ).

* 22,5% até 180 dias; 20% de 181-360 dias; 17,5% de 361-720 dias; 15% mais de 720 dias.

Os títulos do agronegócio têm como objetivo viabilizar o financiamento do setor com recursos privados.

Características

  • Possibilidade de remuneração atrelada à inflação + ganho real (prêmio), vinculada ao DI ou prefixado;
  • Possibilidade de estruturas com garantias (como alienação da terra e penhor da produção);
  • São negociados no balcão e registrados na Cetip ou no BovespaFix;
  • Isenção de IR e IOF para pessoa física no rendimento; ganho de capital tributado de acordo com a tabela regressiva de alíquota de IR*;
  • Liquidez baixa;
  • Destinado exclusivamente a investidores qualificados;
  • Operação garantida pela Cetip. Produto registrado em nome do cliente (CPF/CNPJ).

* 22,5% até 180 dias; 20% de 181-360 dias; 17,5% de 361-720 dias; 15% mais de 720 dias.

Fundo de investimento que destina parcela preponderante de seu patrimônio líquido para aplicação em direitos e títulos representativos de créditos (“direitos creditórios”) provenientes de operações comerciais, industriais, imobiliárias, financeiras ou de prestação de serviços, entre outras.

Características

  • Rentabilidade diferenciada quando comparado a ativos com classificação de risco semelhante;
  • Pode ser aberto (permitindo a entrada e saída de cotistas a qualquer tempo) ou fechado (a entrada de cotistas não é permitida após o período de captação, e a saída não é permitida antes do vencimento);
  • Pode ter prazo de duração determinado (fundo fechado) ou indeterminado (fundo aberto);
  • Estrutura com cotas seniores e subordinadas: cotas subordinadas só são remuneradas após as cotas seniores terem sido totalmente pagas. Caso ocorra algum evento que afete negativamente a rentabilidade do fundo, somente após a liquidação da classe de cotas subordinadas (decorrente das perdas) será possível alocar perdas adicionais às cotas seniores;
  • Negociável no mercado secundário, pouca liquidez. O valor a ser obtido dependerá das condições do mercado no momento da venda;
  • Destinado exclusivamente a investidores qualificados;

Instrumento de captação de recursos exclusivo das instituições financeiras.

Características

  • Prazo mínimo de 2 anos;
  • É vedado resgate total ou parcial antes do vencimento;
  • Investimento mínimo de R$300 mil;
  • Remuneração: taxas de juros prefixadas, combinadas ou não com taxas flutuantes ou índices de preço;
  • Liquidez restrita no mercado secundário;
  • Operação garantida pela Cetip. Produto registrado em nome do cliente (CPF/CNPJ).

É um título de Renda Fixa de depósito a prazo criado para auxiliar instituições financeiras ( ex.: bancos ) a captar recursos.

Características

  • Remuneração: taxa pré ou pós-fixadas;
  • 100% garantido pelo Fundo garantidor de Créditos (FGC) até o montante de R$20 milhões* por CPF ou CNPJ; por instituição ou conglomerado financeiro
  • Baixa liquidez;
  • Operação garantida pela Cetip. Produto registrado em nome do cliente (CPF/CNPJ).

*cobertura engloba principal e juros.

São títulos emitidos pelo Governo, por meio do Tesouro Nacional, com a finalidade de captar recursos para o financiamento da atividade pública. Em função disso, são vistos pelo mercado como de baixo risco.

Preços dos Títulos Públicos
O preço unitário, valor pelo qual são negociados os Títulos Públicos, é uma estimativa do valor a ser recebido no futuro, corrigido por uma taxa de juros determinada, que é a remuneração de quem investe.

A relação entre a taxa de juros e o preço é inversamente proporcional. Quando a taxa de juros cai, o preço sobe. Quando a taxa de juros sobe, o preço cai. E essa variação será tanto maior quanto maior for o prazo remanescente do título. A única exceção é a LFT, que dia a dia, é corrigida pela taxa Selic.

Características

  • Remuneração pré ou pós-fixada;
  • Liquidez semanal pelo Tesouro Direto tanto para venda quanto para compra;
  • Investimentos com diferentes prazos e objetivos como: caixa, geração de renda e para evitar a depreciação de capital no longo prazo.

Veja abaixo as opções de Títulos Federais que você pode adquirir:

tipos de títulos públicos rentabilidade características
Tesouro Selic(LTF) SELIC Juros + principal no vencimento
Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN-B) IPCA + Juros Juros semestrais e o principal no vencimento
Tesouro IPCA+ (NTN-B PRINCIPAL) IPCA + Juros Juros + principal no vencimento
Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTN-F) Juros predefinidos Juros semestrais e o principal no vencimento
Tesouro Prefixado (LTN) Juros predefinidos Juros + principal no vencimento

Como posso negociar?

Você pode negociar Títulos Públicos de duas maneiras, através da nossa Plataforma de Renda Fixa ou através do sistema do Tesouro Direto, gerenciado pelo Governo Federal.

Veja abaixo as principais características de cada plataforma:

Tesouro Direto Plataforma de Renda Fixa
QUANTIDADE MÍNIMA 10% de 1 título (fração mínima*) 1 Título
LIQUIDEZ Vendas às quartas-feiras Vendas todos os dias úteis
AGENDAMENTO E REINVESTIMENTO AUTOMÁTICO Disponível Não Disponível

*Nas compras tradicionais, a parcela mínima de compra é de 10% do valor de um título (0,1 título), desde que respeitado o limite financeiro mínimo de R$ 30,00 (trinta reais). No caso do investimento programado, as compras devem obedecer à parcela mínima de 1% do preço unitário de cada título, ou seja, 0,01 título, desde que respeitado o mesmo limite financeiro, R$ 30,00. O limite financeiro máximo de compras mensais é de R$ 1.000.000,00, tanto para as compras tradicionais quanto para as programadas. Não há limite financeiro para vendas.

renda fixa


Importante: CRI, CRA e Debêntures não contam com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). CDB, LCI, LCA e LC contam com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil. Os riscos da operação com títulos de renda fixa estão na capacidade de o emissor (governo, em se tratando de títulos públicos, empresa ou instituições financeiras, em se tratando de títulos privados) honrar a dívida (risco de crédito); na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo (risco de liquidez); e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores (risco de mercado). Em se tratando de título privado, o risco de mercado inclui, ainda, o chamado prêmio do risco, que é aquele inerente à capacidade de pagamento da emissora do título. Muito importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura. Para informações e dúvidas sobre produtos, contate seu assessor.

compare renda fixa

[d]
[d]